As Mentiras e as Blasfêmias do Diabólico Bhagavad Gita

Em Suas Santas Escrituras Deus nos adverte a respeito da enganação dos últimos dias. O Senhor Jesus Cristo, ao ser indagado pelos discípulos a respeito do fim, iniciou suas advertências com as seguintes palavras:

"E ele lhes respondeu: Vede que ninguém vos engane." Mateus 24:4

O New Age Movement (Movimento Nova Era - e similares) com sua declarada aceitação dos ensinamentos do Hinduísmo e do Budismo está imerso nos ensinamentos anticristo dos escritos védicos. Mentiras como a reencarnação, lei do karma (carma), unidade com o universo, "eu sou tudo", "a natureza é Deus", o universo é eterno, a terra é uma entidade, e outros absurdos congêneres estão, em grande parte, baseados nos ensinamentos mentirosos e blasfemos do Hinduísmo.

O Budismo é filho do Hinduísmo, e a essência de seus ensinos, como não poderia deixar de ser, é a mesma do Hinduísmo.

Dentre a vasta e desnorteante literatura Hindu figura como um livro de referência para os Budistas o Bhagavad Gita.

O Bhagavad Gita foi adicionado ao corpo de escritos do Hinduísmo após 500 AC, estimando-se que os escritos mais antigos dos Vedas remontem a cerca de 2000 AC.

A antiguidade desses escritos não lhes confere nenhum caráter especial, pois o pai da mentira, Lúcifer, enganou Eva ainda no princípio dos séculos. Assim como o velho diabo não possui nenhuma credibilidade, tampouco possuem os escritos védicos, por mais antigos que possam vir a ser.

As Escrituras de Deus, a Bíblia, nos revelam que Satanás é um ser terrivelmente arrogante e pervertido. Lúcifer desejou ser como Deus e por causa de seus malignos intentos e de sua rebelião foi que Deus o expulsou do céu condenando-o ao tormento eterno no lago de fogo e enxofre.

"Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filho da alva! Como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações! Tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do Norte; subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo. Contudo, serás precipitado para o reino dos mortos, no mais profundo do abismo." Isaías 14:12-15

"Então, o Rei dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos." Mateus 25:41

O atrevimento do diabo chegou ao ponto de ele ousar, de forma louca e blasfema, tentar o Senhor Jesus Cristo a fim de que Ele se prostrasse aos seus pés:

"Levou-o ainda o diabo a um monte muito alto, mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a glória deles e lhe disse: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares." Mateus 4:8, 9

Nesse ponto o Senhor já não mais tolerou tamanho atrevimento e ordenou:

"Então, Jesus lhe ordenou: Retira-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a ele darás culto. Com isto, o deixou o diabo, e eis que vieram anjos e o serviram." Mateus 4:10, 11

Se Satanás procedeu dessa forma diante do Rei dos reis, que a Si mesmo se fez homem a fim de salvar os homens com seu sacrifício, não é de admirar que o diabo se utilize de meios e de modos arrogantes e blasfemos a fim de seduzir, enganar e de destruir os homens. E o Bhagavad Gita é um desses meios.

Por entre trechos que procuram passar a idéia de sabedoria e de beleza poética se escondem princípios completamente satânicos, assim como quando serpentes se escondem por entre belos e floridos arbustos.

A arrogância e a ousadia blasfema presentes no Bhagavad Gita mostram, de forma inequívoca, que esses escritos foram elaborados sob direta influência do diabo, pois os escritos do Bhagavad Gita são diabólicos do começo ao fim.

Vamos aqui examinar alguns trechos desse livro satânico e confrontá-los com as Escrituras do Deus de Israel.

Bhagavad Gita, Canto 10-8; Fala Krishna: "Eu sou a origem de todo ser, de mim procede a obra do universo. Sabendo disto, os sábios me adoram em amorosa contemplação."

Krishna é um dos milhões de deuses do Hinduísmo e ora é tido como sendo alguém que viveu na terra sendo a reencarnação do deus Vishnu (avatar), ora é tido como sendo um deus cósmico.

Em relação ao verso citado acima, vemos a arrogância e a blasfêmia de alguém arrogando para si a criação do universo. Porém, está escrito:

"Eu fiz a terra e criei nela o homem; as minhas mãos estenderam os céus, e a todos os seus exércitos dei as minhas ordens." Isaías 45:12

"O nosso socorro está em o nome do SENHOR, criador do céu e da terra." Salmos 124:8

Vemos ainda no texto blasfemo do B. Gita que o autor daquelas palavras reivindica adoração para Krishna: "os sábios me adoram", exatamente como o diabo faz. Porém está escrito:

"Porque não te inclinarás diante de outro deus; pois o nome do SENHOR é Zeloso; é um Deus zeloso." Êxodo 34:14

"Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a ele darás culto" Lucas 4:8

Agora a seguir um trecho do B.Gita que merece ser comentado:

Bhagavad Gita, Canto 10-10 e 11; Fala Krishna: "A estes homens que se consagram à união mística e me servem com amor. Eu lhes inspiro aquela devoção baseada no conhecimento, através da qual chegam a mim. Movido pela compaixão e residindo em sua alma, dissipo neles as trevas nascidas da ignorância, através da luz refulgente da sabedoria."

O mentiroso Krishna antes reivindica, de modo blasfemo, para si a autoria do universo e adoração, e aqui nesse trecho aponta para o modo como alguém pode servi-lo. A menção de "união mística" é uma referência ao ocultismo diabólico, marca registrada do Hinduísmo. E o meio sugerido é "o conhecimento" e a "sabedoria". Esse trecho está em total conformidade com a mentira Hinduísta que assevera que o homem pode "se libertar" dos horripilantes ciclos reencarnacionistas através da obtenção da "consciência" de que "Atman é Brahman" (a alma é Deus).

Segundo o Hinduísmo, somente quando o homem é livre da "ignorância" e aceita sua condição de "um com o todo" é que "evolui" segundo as absurdas regras e "leis do karma". O Bhagavad Gita ensina a mesma coisa, sendo que para os Budistas, o tal "estado superior" é chamado de Nirvana.

A menção das palavras "amor" e "compaixão" é uma óbvia tentativa de mascarar e de esconder princípios diabólicos entre supostas sugestões de beleza e de justiça. O que se passa no Bhagavad Gita, na realidade, é a atuação da sugestão diabólica com fins a induzir os homens ao erro de supor que a "sabedoria" do Bhagavad Gita contém algo de divino. De divino não contém nada. Contém de satânico.

Ninguém pode chegar a Deus por modo nenhum, a não ser pelo Filho, como está escrito:

"Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim." João 14:6

As blasfêmias do Bhagavad Gita prosseguem, como veremos a seguir:

Bhagavad Gita, Canto 10-19; Fala Krishna: "Assim seja: vou enumerar-te meus atributos divinos, ainda que me limite aos principais, ó melhor dos kurus, pois não há limites para minha grandeza."

Porém está escrito:

"Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis" Romanos 1:20

"Assim diz o SENHOR, Rei de Israel, seu Redentor, o SENHOR dos Exércitos: Eu sou o primeiro e eu sou o último, e além de mim não há Deus." Isaías 44:6

"Grande é o SENHOR e mui digno de ser louvado; a sua grandeza é insondável." Salmos 145:3

Agora veremos a declaração reveladora de que Krishna é inimigo de Deus e dos homens:

Bhagavad Gita, Canto 10-34; Fala Krishna: "Sou a morte que tudo arrebata e o nascimento de tudo que adquire vida. Entre os atributos femininos sou a glória, a beleza, a eloqüência, a memória, a inteligência, a constância e a misericórdia."

Sem fugir à regra, aqui a mentira é mascarada por entre palavras como: "glória", "beleza", "inteligência" e "misericórdia". "Sou...o nascimento de tudo que adquire vida" é mais uma asseveração arrogante e blasfema, pois está escrito:

"Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá" João 11:25

No trecho acima citado do Bhagavad Gita, as unhas da ferocidade da enganação se permitem visualizar com a asseveração: "sou a morte que tudo arrebata".

Em NENHUM lugar das Escrituras o Deus Todo-poderoso, o Criador, afirma que Ele é a morte. Essa afirmação do Krishna do Bhagavad Gita é uma evidência de que esses escritos nada têm a ver com Deus, pois o Senhor afirma que a morte é um INIMIGO:

"O último inimigo a ser destruído é a morte." 1 Coríntios 15:26

Desta forma cai por terra toda a fraudulenta argumentação New Age-Hinduísta de que os deuses do Hinduísmo seriam manifestações do mesmo Deus. Essa argumentação é tão falsa como a que assevera que Deus pode ser encontrado no interior de cada ser humano.

O "sou a morte que tudo arrebata" do Krishna do Bhagavad Gita é uma evidência do caráter anticristo desses escritos.

O Senhor Jesus Cristo se manifestou a fim de vencer a morte, o que foi feito quando de Sua ressurreição de entre os mortos ao terceiro dia após a Sua morte na cruz, onde pagou Ele o preço pelos pecados dos homens. Ele Jesus Cristo, é a ressurreição e a vida e tem, ele próprio e ele somente, as chaves (autoridade) sobre a morte e sobre o inferno.

"Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá" João 11:25

"Eu sou o primeiro e o último e aquele que vive; estive morto, mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos e tenho as chaves da morte e do inferno." Apocalipse 1:17,18
 

Conclusão:

O Bhagavad Gita não tem nada de divino.

O Bhagavad Gita não ensina a verdade, mas propaga a mentira.

O Bhagavad Gita está completamente de acordo com os princípios satânicos da arrogância e da blasfêmia.

O Bhagavad Gita é promotor do ocultismo e do satanismo. TODA e qualquer adoração que não seja a do Deus de Israel não procede de Deus e é pecado.

Krishna não tem nada a ver com Deus.

Krishna não é uma manifestação de Deus.

A argumentação de que o Bhagavad Gita é simbólico não anula a presença de princípios satânicos explicitamente presentes naqueles escritos.

Krishna se revela como sendo inimigo do Deus de Jacó.

O Bhagavad Gita é mais um dos muitos caminhos que conduzem ao inferno!

"Jesus, pois, lhes afirmou de novo: Em verdade, em verdade vos digo: eu sou a porta das ovelhas. Todos quantos vieram antes de mim são ladrões e salteadores; mas as ovelhas não lhes deram ouvido. Eu sou a porta. Se alguém entrar por mim, será salvo; entrará, e sairá, e achará pastagem. O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância. Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a vida pelas ovelhas. O mercenário, que não é pastor, a quem não pertencem as ovelhas, vê vir o lobo, abandona as ovelhas e foge; então, o lobo as arrebata e dispersa. O mercenário foge, porque é mercenário e não tem cuidado com as ovelhas. Eu sou o bom pastor; conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem a mim, assim como o Pai me conhece a mim, e eu conheço o Pai; e dou a minha vida pelas ovelhas." João 10:7-15

 


 

 

Home