Quem foi a fundadora da Sociedade Teosófica? Quem era Helena Petrovna Blavatsky?

Helena Petrovna Blavatsky, Satanista e Precursora do Movimento Nova Era e da Atual Nuvem Negra do Ocultismo que se Alastra pelo Mundo Todo


Helena Petrovna von Hahn nasceu em Ekaterinoslav, na Rússia em 12 de agosto de 1831.

Diz-se que Helena Petrovna Blavatsky já percebia, desde a infância, que era “diferente” dos outros, pois possuía “poderes psíquicos”. Helena tocava piano e gostava de estar em contato com a natureza.

Diz-se ainda de Blavatsky que ela desde cedo percebia que tinha uma missão e que estaria sendo guiada. Casou-se com Nikifor V. Blavatsky do qual posteriormente se separou indo sozinha para a Turquia, Egito e Grécia. O casamento para Helena, segundo autores, não significava nada.

Suas viagens foram patrocinadas por seu pai, o coronel Peter von Hahn.

Aos vinte anos Blavatsky encontrou-se com Mahatma Morya ou M. (como ficaria conhecido entre os teosofistas), em Londres, um indivíduo que Helena já “havia visto” em suas visões psíquicas da infância. Mahatma Morya teria dito a Helena o que lhe aguardava, passando então Helena a aceitar as orientações de M.

Ainda no mesmo ano, 1851, Blavatsky iniciou diversas viagens passando pelos EUA, México, América do Sul e Ceilão indo parar na Índia no ano seguinte. Tentou entrar no Tibete, e sem sucesso retornou para a Inglaterra em 1853.

Em 1855 foi para o Japão e de lá partiu novamente para o Tibete, tendo conseguido entrar desta vez através da Kashimira. Diz-se que por esse tempo iniciou sua iniciação no ocultismo.

Suas viagens não pararam por aí. Em seguida foi para a França, Alemanha e depois retornou para a Rússia. De 1860 a 1865 ela viveu nas regiões do Cáucaso onde teria passado por crises físicas e psíquicas o que a teria levado a aprender a controlar seus poderes ocultistas.

Em 1865 lá se foi ela de novo, desta vez para os Bálcans, Grécia, Egito, Síria e Itália, dentre outros lugares por onde andou a bruxa médium ocultista.

Em 1868 foi parar novamente no Tibete tendo passado pela Índia. Lá se encontrou com o mestre Koot Hoomi (K.H.) o qual a hospedou em sua casa.

Após esse encontro Blavatsky tornou a fazer outras viagens, sendo que desta vez quase morreu afogada em um naufrágio perto da Ilha de Spetsai em 1871.

Seguiu para o Egito onde tentou fundar, sem sucesso, a Societe Spirite (Sociedade Espírita).

Aos 42 anos de idade, Helena Blavatsky já teria conseguido controlar seus “poderes ocultos”.

Na opinião dos Mahatmas (mestres) Helena seria o melhor instrumento que lhes serviria a fim de apresentar ao mundo a Teosofia, que, segundo os Mahatmas, seria a “sabedoria acumulada das eras, testada e verificada por gerações de Seers...”, significando, ainda segundo os Mahatmas, “o corpo de verdades do qual as religiões, grandes e pequenas, seriam ramos de uma mesma árvore”.

A “missão” de Helena Petrovna Blavatsky seria a de “desafiar” a Teologia Cristã e a “visão materialista dogmática” da ciência de seu tempo.

Em outubro de 1874 Blavatsky foi posta em contato, pelos seus mestres, com o coronel norte-americano Henry Steel Olcott, um militar que havia servido aos EUA durante a Guerra Civil daquele país. Helena se encontrou ainda com o advogado irlandês William Quan Judge, o qual teria importante papel na fundação da Sociedade Teosófica.

A tal Sociedade Teosófica terminou por ser fundada pelos três personagens: Helena, Olcott e Quan. A proposta da Sociedade Teosófica era a de promulgar os antigos ensinos Teosóficos ou a “sabedoria concernente ao divino”, como gostavam de dizer, “sabedoria” essa que teria sido a base espiritual para outros movimentos do passado, como o Neo-Platonismo, o Gnosticismo e as Escolas de Mistério do mundo clássico. A data oficial para a inauguração da Sociedade Teosófica foi 17 de novembro de 1875.

A primeira tarefa da Sociedade era a de “coletar e difundir as leis que governam o universo”. Posteriormente, os objetivos da Sociedade Teosófica foram assim por eles anunciados:

1-Formar um núcleo da Fraternidade Universal da Humanidade, sem distinção de raça, credo, sexo, casta ou cor.

2-Encorajar o estudo das religiões comparadas, filosofia e ciência

3-Investigar leis inexplicadas da natureza, e os poderes latentes no homem.

Em setembro de 1871 Helena Blavatsky publica “Isis Unveiled” (Ísis Descoberta), um livro que fala da história e do desenvolvimento das ciências ocultas, a natureza e as origens da magia e sobre “falácias da ciência ortodoxa”.

Em julho de 1878 Blavatsky e o coronel Olcott viajam para a Índia, após Helena ter sido naturalizada cidadã norte-americana.

Em 1879 chegam a Bombaim, na Índia, onde estabelecem o quartel general da Sociedade Teosófica. Posteriormente são contatados por Alfred Percy Sinnett, então editor do jornal governamental The Pioneer de Allahabad.

Em 1879 dão início à publicação do primeiro jornal da Sociedade Teosófica, o Theosophist, com Helena Blavatsky como editora. O jornal acaba por atrair adeptos para a Sociedade.

Em 1880 o coronel Olcott, após passar um período no Sri Lanka, dá início a um trabalho de estímulo à difusão do Budismo. Helena e Olcott se tornam oficialmente Budistas.

No mesmo ano Blavatsky e Olcott visitam o editor Sinnett, o qual demonstra grande interesse pelo trabalho da Sociedade Teosófica, tendo sido posto em contato, através de Helena, com dois outros patrocinadores da Sociedade, os Mahatmas K.H. e M. (os teosofistas apreciam as abreviações dos nomes). Como resultado dos contatos entre Sinnett e os Mahatmas, Sinnett escreve dois livros: “O mundo oculto” e “Budismo Esotérico” (em 1881 e 1883, respectivamente). Esses livros tiveram importante papel em atrair mais adeptos para a Teosofia.

Olcott e Blavatsky realizam viagens e fundam núcleos da Sociedade Teosófica em diversas cidades da Índia e intensificam suas atividades de escritores para o jornal o Teosofista.

Grande parte desse trabalho era estimular o interesse dos indianos pela literatura védica do Hinduísmo.

Por esse mesmo período o coronel Olcott passa a praticar a hipnose e o mesmerismo. O mesmerismo era uma prática baseada nas teorias do médico alemão Franz Mesmer o qual propunha o chamado “magnetismo animal”. Olcott passou a propagar a “cura” pela hipnose e pelo mesmerismo. Enquanto isso definhava e se deteriorava a saúde de madame Blavatsky, a qual o acompanhava.

Helena publica seu segundo trabalho The Secret Doctrine (a Doutrina Secreta).

Em 1884 Richard Hodgson, membro da Society for Psychical Research de Londres realiza investigações sobre as atividades de Helena Petrovna Blavatsky, e no ano seguinte o comitê da Society for Psychical Research afirma que Blavatsky era “uma das mais interessantes impostoras da história”. As investigações de Hodgson ficaram conhecidas como The Hodgson Report (o Relatório Hodgson).

Em 1887 Helena Petrovna Blavatsky funda uma revista mensal a qual chama de LUCIFER!

A tal revista Lucifer, segundo Blavatsky, tinha por objetivo “trazer à luz as coisas ocultas das trevas”, e isto se encontrava estampado na capa da revista.

Em 1888 Blavatsky funda a Escola Esotérica da Sociedade Teosófica para um “estudo mais aprofundado” da “Filosofia Esotérica” por estudantes “mais dedicados”.

Em 8 de maio de 1891 Helena Petrovna Blavatsky morre em Londres aos 59 anos de idade.

Conclusão:

Helena Petrovna Blavatsky, bruxa, médium, espírita e satanista foi a fundadora da Sociedade Teosófica (Sociedade Espírita) e uma dos mais importantes expoentes para a difusão do Ocultismo, do Esoterismo, do Hinduísmo e do Budismo e ainda uma precursora do atual movimento diabólico conhecido por New Age Movement (Movimento Nova Era).


“Os outros homens, aqueles que não foram mortos por esses flagelos, não se arrependeram das obras das suas mãos, deixando de adorar os demônios e os ídolos de ouro, de prata, de cobre, de pedra e de pau, que nem podem ver, nem ouvir, nem andar; nem ainda se arrependeram dos seus assassínios, nem das suas feitiçarias, nem da sua prostituição, nem dos seus furtos.” Apocalipse 9:20,21
 


 

 

Home