Os Humildes dentre os Pobres da Terra

“Era o varão Moisés mui manso, mais do que todos os homens que havia sobre a terra.” Números 12:3

Tenho por certo que o mais destrutivo e letal comportamento que alguém possa assumir e manifestar nesta efêmera existência seja a arrogância. Por causa da arrogância Lúcifer se transformou em Satanás (adversário), o que o levou a ser maldito eternamente. Na trajetória de seus passos, muitos homens e mulheres têm desgraçado suas próprias vidas e a vida de outros.

A arrogância é o oposto da humildade, é a antítese do bem, pois onde há arrogância não pode haver lugar para o verdadeiro amor. A arrogância é irmã do egoísmo, resulta de um posicionamento doentio e enlouquecido que supõe, equivocadamente, uma série de prioridades e de privilégios para a personalidade humana em detrimento dos valores em harmonia com o coração e com a vontade de Deus.

O arrogante tem uma visão superestimada de si próprio, tende a comparar-se aos outros tendo como modelo um ideal deturpado de grandeza, independentemente de quem seja e da posição social que ocupe. Cultivam valores próprios, concebidos às escuras, e não tardarão a ferir o próximo, pois o próximo é inferior a eles, lhes são desprezíveis, pois o que importa aos arrogantes é a auto-exaltação e a satisfação de seus desejos. Os demais nem merecem consideração sincera a seus olhos.

“Abominável é ao SENHOR todo arrogante de coração; é evidente que não ficará impune.” Provérbios 16:5

“Quando, porém, o seu coração se elevou, e o seu espírito se tornou soberbo e arrogante, foi derribado do seu trono real, e passou dele a sua glória.” Daniel 5:20

Os Ricos Arrogantes

As Escrituras nos ensinam que os ricos tendem à arrogância, e que por causa deles muitos são prejudicados, pois a maioria dos ricos adquire suas riquezas às custas de fraude.

“Ouvi, meus amados irmãos. Não escolheu Deus os que para o mundo são pobres, para serem ricos em fé e herdeiros do reino que ele prometeu aos que o amam? Entretanto, vós outros menosprezastes o pobre. Não são os ricos que vos oprimem e não são eles que vos arrastam para tribunais? Não são eles os que blasfemam o bom nome que sobre vós foi invocado?” Tiago 2:5-7

“Atendei, agora, ricos, chorai lamentando, por causa das vossas desventuras, que vos sobrevirão. As vossas riquezas estão corruptas, e as vossas roupagens, comidas de traça; o vosso ouro e a vossa prata foram gastos de ferrugens, e a sua ferrugem há de ser por testemunho contra vós mesmos e há de devorar, como fogo, as vossas carnes. Tesouros acumulastes nos últimos dias. Eis que o salário dos trabalhadores que ceifaram os vossos campos e que por vós foi retido com fraude está clamando; e os clamores dos ceifeiros penetraram até aos ouvidos do Senhor dos Exércitos. Tendes vivido regaladamente sobre a terra; tendes vivido nos prazeres; tendes engordado o vosso coração, em dia de matança; tendes condenado e matado o justo, sem que ele vos faça resistência.” Tiago 5:1-6

“Então, Jesus, olhando ao redor, disse aos seus discípulos: Quão dificilmente entrarão no reino de Deus os que têm riquezas!” Marcos 10:23

É fácil observarmos as perversidades de muitos homens e de muitas mulheres ricas. Frequentemente envolvidos em processos judiciais, muitos deles são acusados de reter o pagamento de empregados, de exploração do trabalho alheio, de envolvimento em negócios escusos e com o suborno. E não são poucas as situações onde os vemos escarnecendo dos pobres e propalando vaidades e pecados. Pensam que a riqueza os protegerá para sempre, e a maioria deles despreza a Deus.

Conheci uma família de milionários, os quais, em algumas ocasiões, me convidavam a visitar sua casa que tinham em uma serra. Para lá iam todos os fins de semana e se banqueteavam com muitas carnes, bebidas importadas e muita sensualidade. Eu não pertencia àquele meio. Houve uma vez em que um dos empregados da casa, um homem maltrapilho e humilhado, me disse: “Doutor, essa família vem aqui todos os fins de semana e se banqueteia à nossa vista. Mas ai de nós se comermos as suas comidas! Quando chega o domingo, antes de irem embora, levam tudo o que sobrou, e nem uma coxa de galinha é deixada pra nós que os servimos. Passamos dificuldades, mas eles não se importam!”.

Pobres e Arrogantes

Dentre as muitas viagens que tenho realizado pelo Brasil, de norte a sul, o que mais me tem surpreendido é o comportamento dos pobres, não dos ricos, cujo comportamento já é, em muitos casos, previsível. A despeito de sua condição de pobreza, ou de miséria, já vi muitos deles se comportando de modo assustadoramente arrogante.

Em uma de minhas viagens ao norte do Brasil (não o Nordeste), uma região repleta de interiores miseráveis e explorados por políticos milionários e corruptos, conheci uma senhora de classe média, a qual tinha por primo o dono de um matadouro e de um açougue. Incomodava a essa senhora ver muitos quilos de fígado e de intestinos de gado sendo lançados, diariamente, ao lixo. Sozinha, tomou emprestada uma carroça e a encheu de fígado e de intestinos do gado abatido e foi distribuí-los aos pobres de um bairro da periferia. Comida fresca, com que se preparam bons pratos, sendo muito comum servirem a conhecida “dobradinha” em cozinhas industriais de grandes empresas. Em alguns restaurantes, brasileiros e europeus, a “dobradinha” é um prato requintado. E lá foi ela, com a carroça que tomara emprestada, distribuir comida a quem passava fome. Quase apanhou! Por pouco não foi linchada. O motivo? Alguns dos moradores do tal bairro começaram a esbravejar, dizendo: “Quem você pensa que somos? Comemos carne, não bucho!”

Apavorada, a senhora tomou toda aquela grande quantidade de carnes e lançou, ela mesma, tudo ao lixo. Foi me procurar, dizendo: “Nunca mais procuro ajudá-los!”.

A história, todavia, não para por aqui.

Pouco tempo depois, estando eu ainda na cidade, vi chegarem Senadores e Deputados nesta mesma cidade, em busca de votos. Hospedaram-se no mesmo hotel em que eu estava. Momentos se passaram até que filas e grupos de pessoas (as mesmas que tinham rejeitado as vísceras de boi) começaram a se formar na entrada do hotel, em busca de “benefícios” (quem lê entenda) generosamente distribuídos por aqueles homens, maçons em sua maioria. Em troca dos “benefícios” (quem lê entenda), os pobres lhes asseguravam que iriam votar neles. Daí podermos lembrar do conhecido dito popular: “Cada povo tem o governo que merece”.

Pobreza e humildade não são, e nunca foram, a mesma coisa

“Melhor é ser humilde de espírito com os humildes do que repartir o despojo com os soberbos.” Provérbios 16:19

Este versículo bíblico se aplica, perfeitamente, a tudo o que estamos asseverando. Não é somente uma ou duas vezes que encontramos na Bíblia a clara definição do que é ser humilde, e isto significa, ser humilde de espírito.

“Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus.”  Mateus 5:3

A opressão dos ricos sobre os pobres é historicamente conhecida, e muito bem, e detalhadamente, narrada. Mas os jornais e a televisão nos querem fazer crer que os pobres são sempre as vítimas, e não os culpados, ou cúmplices, de seu próprio estado de miséria e da opressão que os oprime. E, novamente, citando o Brasil, tenho visto o circo dos horrores de corrupção que se alastra no Brasil, onde multidões de políticos (principalmente vereadores e prefeitos de cidades do interior) são eleitos pela corrupção dos pobres desta e daquela cidade. Em troca de sacolas de comida e de dinheiro, conscientemente elegem homens pérfidos a cargos públicos, dos quais mais “vantagens”, posteriormente seus eleitores buscam obter. E é desses mesmos pobres, corruptos e hipócritas, que afirmou o Senhor Jesus:

“Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: vós me procurais, não porque vistes sinais, mas porque comestes dos pães e vos fartastes.” João 6:26

A humildade de espírito é vista por Deus e a Ele lhe agrada. Mas o homem tende a julgar pelas aparências. A humildade, como dizem as Escrituras, está no espírito, no coração do homem. Não em sua aparência ou em sua condição social.

“Tu és ilustre e mais glorioso do que os montes eternos. Despojados foram os de ânimo forte; jazem a dormir o seu sono, e nenhum dos valentes pode valer-se das próprias mãos. Ante a tua repreensão, ó Deus de Jacó, paralisaram carros e cavalos. Tu, sim, tu és terrível; se te iras, quem pode subsistir à tua vista? Desde os céus fizeste ouvir o teu juízo; tremeu a terra e se aquietou, ao levantar-se Deus para julgar e salvar todos os humildes da terra.” Salmos 76:4-9
 

 

 

Home