Por que temos que orar pelo Pão de cada Dia?

“E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios; porque presumem que pelo seu muito falar serão ouvidos. Não vos assemelheis, pois, a eles; porque Deus, o vosso Pai, sabe o de que tendes necessidade, antes que lho peçais.” Mateus 6:7,8

Se Deus já prometeu aos Cristãos suprir em Cristo todas as nossas necessidades, espirituais e materiais, por que temos que pedir por aquilo que Deus já nos prometeu conceder?

Pessoalmente, acredito que mesmo que todos os mestres cristãos de todos os tempos se reunissem a fim de procurar sintetizar, ou resumir, em uma única oração os principais princípios de Deus, os quais temos o dever de aplicar em nossas vidas, não conseguiriam elaborar uma oração desta magnitude. Mas Deus o fez! Esta é a oração do Pai nosso, a qual estudaremos a seguir e pela qual veremos o porquê de necessitarmos pedir a Deus mesmo aquilo o que ele já prometeu nos conceder.

Primeiramente, a oração. Leia esta oração ensinada pelo Senhor Jesus Cristo, mesmo que você já a conheça de cor e salteado. A compreensão deste estudo não será satisfatória caso você não atente bem para o que nela está escrito e, principalmente, para os princípios divinos que ela contêm. E, ainda melhor, sugerimos que você leia todo o Capítulo 6 do Evangelho de Mateus, pois é em todo este capítulo que estamos fundamentando este estudo.

“Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu reino; faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu; o pão nosso de cada dia dá-nos hoje; e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores; e não nos deixes cair em tentação; mas livra-nos do mal, pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém!”. Mateus 6:9,13

Como já dissemos anteriormente, esta oração ensinada pelo Messias Jesus contém uma sublime e magnífica síntese dos principais princípios de Deus e que devemos aplicar em nossas vidas. O estudo desta oração terá continuidade, mas no momento examinaremos a questão título deste artigo: Por que temos que orar pelo pão de cada dia?

Deus já prometeu suprir todas as nossas necessidades em Cristo


No Capítulo 6 do Evangelho segundo Mateus, o Senhor Jesus trata, dentre muitos outros assuntos, sobre a vontade de Deus no que diz respeito à nossa paz e tranquilidade mental sem que estejamos o tempo todo inquietos quanto ao que haveremos de comer, de vestir, onde iremos morar, como pagaremos as nossas contas, etc. Jesus afirma que Deus já conhece todas as nossas necessidades antes mesmo que as peçamos a Deus.

As inquietações sobre estas coisas são uma marca característica dos que ele chama de gentios:

“Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos? Porque os gentios é que procuram todas estas coisas; pois vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas; buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal.” Mateus 6:31-34

Para uma melhor compreensão do que o Senhor está dizendo (para nos aprofundarmos no conhecimento dos ensinamentos do Evangelho), entendamos porque ele diz que “os gentios é que procuram todas estas coisas”.

No Antigo Testamento a palavra gentio é goy, e se refere a todos os indivíduos que habitavam sobre a terra e que não adoravam o único Deus verdadeiro, o Deus de Israel. Eram, portanto, ímpios (do Hebraico: rasha), homens e mulheres que não adoravam e nem serviam a Deus. Eram distinguidos por Deus em relação ao seu povo, os judeus (em Hebraico: yahudiy). A palavra judeu deriva do nome Judá (Yahuwdah, ou Yehuda), que era uma das doze tribos descendentes de Israel. O nome Judá, por sua vez é uma palavra que tem direta relação com o seu nascimento. Quando Judá nasceu, sua mãe louvou ao Senhor, como está escrito:

“De novo concebeu e deu à luz um filho; então, disse: Esta vez louvarei o SENHOR. E por isso lhe chamou Judá; e cessou de dar à luz.” Gênesis 29:35

Judeu, portanto, significa aquele que louva a Deus, que agradece a Deus. A palavra “obrigado” em Hebraico é “todah”, e vem da mesma raiz linguística do nome Judá, Iehodot.

Há uma canção em Hebraico chamada de: Tov Lehodot Lashem¹ - Bom é Agradecer a Deus!
 


Tov I'hodot Ia'hashem, ulzamer
I'shimcha elyon, I'hagid baboker
chasdecha v'emunatcha baleylot.


Bom é agradecer a Deus
E cantar Seu Nome nas alturas
Para contar de Sua Bondade pela manhã
E de Sua Fidelidade pelas noites
 


Jesus uniu os gentios em um só corpo, a Igreja, a qual é composta de judeus e de gentios convertidos a Cristo.

“Ainda tenho outras ovelhas, não deste aprisco; a mim me convém conduzi-las; elas ouvirão a minha voz; então, haverá um rebanho e um pastor.” João 10:16

Quando, portanto, o Senhor Jesus Cristo diz que “os gentios é que procuram todas estas coisas”, ele está se referindo aos ímpios, homens e mulheres que não adoram e nem servem a Deus através de Cristo, pois a Igreja é o povo de Deus. Tanto judeus como gentios convertidos a Cristo são agora os filhos de Abraão do Israel de Deus, a Igreja, como explicou o apóstolo Paulo.

“É o caso de Abraão, que creu em Deus, e isso lhe foi imputado para justiça. Sabei, pois, que os da fé é que são filhos de Abraão. Ora, tendo a Escritura previsto que Deus justificaria pela fé os gentios, preanunciou o evangelho a Abraão: Em ti, serão abençoados todos os povos. De modo que os da fé são abençoados com o crente Abraão.” Gálatas 3:6-9

“Mas longe esteja de mim gloriar-me, senão na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim, e eu, para o mundo. Pois nem a circuncisão é coisa alguma, nem a incircuncisão, mas o ser nova criatura. E, a todos quantos andarem de conformidade com esta regra, paz e misericórdia sejam sobre eles e sobre o Israel de Deus.” Gálatas 6:14-16


Ninguém pode servir a dois Senhores

Como já visto, existe uma abismal diferença entre os que servem a Deus e os que não o servem. Pelas Escrituras, os que verdadeiramente servem a Deus são os que se converteram ao Messias Jesus, passando a fazer parte do povo de Deus, o único rebanho, sobre o qual fala o Senhor Jesus, sendo ele próprio o Pastor deste enorme povo.

“Então, vereis outra vez a diferença entre o justo e o perverso, entre o que serve a Deus e o que não o serve.” Malaquias 3:18

Até mesmo os cãezinhos sabem reconhecer os seus donos e senhores, e lhe são submissos. De modo muito superior, também os homens sabem a quem estão servindo e sendo submissos. E no caso dos homens, Deus afirma que não podemos servir a dois senhores. Temos, portanto que decidir a quem serviremos, se a Deus, o Criador, ou se a outros senhores.

“Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom.” Mateus 6:24

Neste trecho bíblico, o Senhor Jesus está ensinando que não podemos servir a Deus e às riquezas ao mesmo tempo. Mas, embora aparentemente estando a tratar somente da questão da avareza, que é idolatria, o princípio principal deste versículo se encontra em “ninguém pode servir a dois senhores”.

Não podemos nos esquecer que estamos em um mundo (cosmos) onde está em pleno curso e andamento a maior guerra de todos os tempos: Deus versus Satanás, e esta guerra é pela conquista de nossas almas, da minha e da sua.

Do lado de cima, temos Deus nos oferecendo a salvação em Cristo, pela nossa fé e submissão ao seu Filho, Jesus. Do lado de baixo está Satanás nos oferecendo um enorme penduricalho de atrações e de oportunidades a fim de que, através delas, nos tornemos seus servos (e escravos).

Se alguém não serve a Cristo, esse tal não é servo de Deus.

“Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece.” João 3:36

Sendo assim, fica evidente que do lado de Deus só há um único Senhor, Jesus Cristo.


“Porque, ainda que há também alguns que se chamem deuses, quer no céu ou sobre a terra, como há muitos deuses e muitos senhores, todavia, para nós há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas e para quem existimos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós também, por ele.” 1 Coríntios 8:5,6

Como acabamos de ver, Paulo fala que neste mundo (cosmos) há muitos deuses e muitos senhores, mas a nenhum deles servimos, nós os Cristãos, pois para nós há um só Senhor, Jesus Cristo.

Seja lá qual for o deus ou senhor dos ímpios, se alguém não serve a Cristo, esse alguém tem como senhor o diabo, pois quer sejam ídolos de pedra ou de madeira, quer sejam espíritos imundos disfarçados de Orixás no Candomblé, quer sejam homens já falecidos, como Maomé ou Sidarta Gautama, o Buda, quer seja a idolatria ao dinheiro, ao sexo, às ideologias ou às filosofias, todos os que servem a estes outros senhores não podem servir a Deus. O homem não pode servir a dois senhores, está escrito.
E a má notícia é que quem não serve a Deus em Cristo, todos os que o rejeitam, estão debaixo do poder do príncipe deste mundo, Satanás.

Há muitas pessoas escravizadas a Satanás através dos ídolos, dos falsos deuses e das falsas religiões, uns conscientemente, outros sem o saberem, e isto pela dureza de seus corações, pois se cressem em Cristo receberiam a Luz para poderem caminhar sem tropeçar, pois quem não crê em Cristo, esse que não crê, seja esta pessoa quem for, se encontra nas trevas.

“Eu vim como luz para o mundo, a fim de que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas.” João 12:46

Portanto, o ponto mais crucial de nossas existências é a quem estamos servindo, se a Deus ou se a Satanás. E se estamos servindo ao Senhor Deus por meio de Cristo, devemos-lhe submissão total e irrestrita, e esta submissão necessita de ser confessada e vivida todos os dias de nossas vidas.
Assim, quando oramos ao Pai celestial pedindo “o pão nosso de cada dia dá-nos hoje”, isto significa a reafirmação diária de nossa submissão a Deus, a nossa confissão perante Deus de que o amamos e de que reconhecemos a nossa dependência dele. Além do que, fazendo assim, como ensina o Senhor Jesus, estamos sendo guardados da apostasia, que é o abandono da fé, o dar as costas a Cristo. E este é um perigo que ronda os Cristãos.
Satanás é ardiloso e um mestre em estratégias, e ele tudo fará a fim de nos enganar, procurando nos fazer acreditar em uma auto-suficiência que não possuímos. Se alguém agradece a si próprio, e não a Deus, pelo pão de cada dia, esse alguém já está no rumo de se tornar o seu próprio deus, o senhor de sua própria vida, e isto é uma afronta a Deus.
Também ideologias, sociedades secretas, o dinheiro, dentre outras muitas coisas podem ameaçar a nossa posição diante de Deus, posição esta que temos o dever de guardar, como também está escrito.

“Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa.” Apocalipse 3:11

Por estas razões, temos de estar sempre orando, reafirmando nossa dependência e submissão a Deus, nas coisas simples e também nas muito complexas. E isto sem falar no principal, que é o nosso amor a Deus, nossa adoração a ele prestada. Todos os que amam a Deus têm prazer em estar com Deus em oração, em adorá-lo, pois os verdadeiros filhos de Deus o adoram em espírito e em verdade.

Ainda outra razão para a necessidade de orarmos e pedirmos a Deus pelo de que necessitamos, mesmo para sobreviver, é o fato de que as nossas orações, pedidos e súplicas a Deus são testemunho diante deste mundo rebelado contra Deus. Também é uma das muitas maneiras de glorificarmos a Deus, honrando-o e sendo a ele agradecidos por todos os seus benefícios que nos concede em Cristo. E todas estas coisas são evidências a serem trazidas à plena vista no dia do juízo de Deus.

Os verdadeiros filhos de Deus expressam, na prática, a oração que Jesus ensinou.

“Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu reino; faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu; o pão nosso de cada dia dá-nos hoje; e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores; e não nos deixes cair em tentação; mas livra-nos do mal, pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Amém!”. Mateus 6:9,13

 

 ¹ Tov Lehodot Lashem
 


 

 

Home