Introdução

Seja bem-vindo!

Nós, humanos, somos seres pensantes. Comemos, bebemos, dormimos e nos reproduzimos. Os animais também. O que nos diferencia deles é o nosso entendimento, o intelecto. Intelectualizar significa submeter pensamentos, idéias e emoções à mente, à alma. Na medida do maior desenvolvimento do intelecto esta ação se torna cada vez mais prazerosa. É a consciência do pensar e do saber. Somente os anjos e os homens têm consciência de ter consciência.

Porém o ato de pensar pode ser doutrinado e condicionado, privando o pensador dos prazeres mais elevados desta prática sublime e salutar. O ato de pensar deve ser livre, independente de imposições de ideologias, de pseudoculturas ou da falsa ciência. Pensar significa avaliar em profundidade não somente os fatos que nos rodeiam, mas também o nosso próprio papel na existência.

Vivemos dias onde os meios de comunicação em geral, a maioria deles completamente corrompida e vendida, têm tornado o intelecto humano um tanto quanto imbecilizado. Em um escancarado e detestável enredo de óbvias estratégias de controle e de manipulação de massas, a mente humana encontra-se sujeita às mais diversas formas de embrutecimento e de alienação forjada do intelecto. Informações parciais e deturpadas, dados propositadamente fragmentados, apelos a uma cultura imediatista de prazer barato e, principalmente, o descaso e o desprezo para com as exigências da verdade têm sido a tônica do compasso atual. Um período onde um intelectual é visto como algo raro e a muitos estranho. Um momento na História quando o verdadeiro saber é rejeitado em prol de fantasias e de fábulas.

Porém, assim como nenhum bom gourmet se contenta com migalhas, tão pouco nenhum autêntico intelectual se contenta com informações superficializadas e com culturas pusilânimes. Todavia, ser intelectual não é a mesma coisa que ser sábio.

Os sábios pensam, meditam e ponderam segundo a verdade, enquanto os néscios apressadamente se põem a dançar ao som da sedutora música estupidificante do reino da fantasia e das falácias.

O objetivo inicial deste website era o de servir como um depositário de informações selecionadas e submetidas a uma avaliação intelectual precisa e honesta. Todavia, é absolutamente impossível compreender o que se passa no mundo e ao nosso redor sem que se esteja espiritualmente e psicologicamente revestido com a verdade.

A verdade não é um mero conceito, não se trata de uma simples idéia e nem tampouco de alguma percepção individual do que seja a realidade. Racionalmente, a verdade pode ser vista como um parâmetro, como um referencial do processo mental para os atos da compreensão e do juízo da realidade nos processos de avaliação e de julgamento pessoal, embora a verdade seja muito mais do que isto. A verdade é o cerne, o centro e o coração da existência, pois tudo nela se firma e se sustenta, e o que não é verdade não subsiste, pois não pode ser suportado por ela.

O ser humano possui um corpo físico e uma mente da qual ele depende e é ela quem o orienta. Mas o que dá vida ao corpo físico? Quem coordena este impressionante e harmônico conjunto de atividades conscientes e criativas? A resposta a esta indagação não se encontra no limitado âmbito do território da simples sensopercepção que nos trazem os nossos sentidos. Antes, a ele transcende e a algo superior aspira.

Diante deste cenário, somente duas opções se apresentam: A aceitação da realidade da existência de uma dimensão espiritual na qual nos encontramos todos inseridos, ou a sua deliberada negação. E o nosso posicionamento é o desta aceitação, razão porque cremos, sabemos e conhecemos que o que dá vida ao homem é o espírito que nele habita, o fôlego de vida, segundo nos revelam as Escrituras de Deus, a Bíblia.

Sendo assim, nosso posicionamento diante das dimensões espirituais da existência é mais do que simplesmente teológico, pois quanto à realidade espiritual, nós a conhecemos não segundo o intelecto humano, mas por nossas próprias experiências pessoais com Deus. Tal como escreveu o apóstolo Paulo:

“Por isso daqui por diante a ninguém conhecemos segundo a carne; e, ainda que tenhamos conhecido Cristo segundo a carne, contudo agora já não o conhecemos desse modo.” 2 Coríntios 5:16

Conhecer a Cristo segundo a carne significa simplesmente saber de sua existência, ter ciência do que ele representa na História. É tê-lo ouvido sem o ter conhecido pessoalmente. Todavia, não conhecê-lo mais desse modo, como escreveu Paulo, significa passar a conhecê-lo na intimidade, por experiência própria. É passar, desta forma, a entender a sua linguagem, a honrá-lo e a percebê-lo em sua plenitude, ou seja, tendo contato pessoal com ele próprio, pois Cristo morreu e ressuscitou. Jesus Cristo venceu, vive e voltará. E é assim, deste modo, que o temos conhecido. Tal experiência é a maior glória da existência humana e a revelação de todos os seus mistérios. Como está escrito:

“Assim diz o Senhor: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem se glorie o forte na sua força; não se glorie o rico nas suas riquezas; mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em me conhecer, e saber que eu sou o Senhor, e faço misericórdia, juízo e justiça na terra; porque destas coisas me agrado, diz o Senhor. Jeremias 9:23, 24

“Todas as coisas me foram entregues por meu Pai; e ninguém conhece quem é o Filho senão o Pai, nem quem é o Pai senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar.” Senhor Jesus Cristo, Lucas 10:22

Isto significa que o único que nos pode introduzir ao conhecimento do Pai, o Criador, o Deus Todo-Poderoso é o Filho. Não há como conhecer a Deus senão por intermédio do Senhor Jesus Cristo.

“Tendo Jesus chegado às regiões de Cesaréia de Felipe, interrogou os seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens ser o Filho do homem? Responderam eles: Uns dizem que é João, o Batista; outros, Elias; outros, Jeremias, ou algum dos profetas. Mas vós, perguntou-lhes Jesus, quem dizeis que eu sou? Respondeu-lhe Simão Pedro: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. Disse-lhe Jesus: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelou, mas meu Pai, que está nos céus.” Mateus 16:13-17

Adentramos assim no território espiritual da existência, para que conhecendo a Cristo conheçamos o Pai, e a partir do Pai conheçamos todas as coisas em Cristo. Como também está escrito:

“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez.” João 1:1-3

Embora as experiências de um verdadeiro cristão não se resumam à leitura das Escrituras, pois Seu Autor é o Deus Vivo, o qual se manifesta em nossas vidas em plena harmonia com as Escrituras, é com a Bíblia que confrontamos todos os resultados colhidos por nossas percepções, quer sejam espirituais, quer sejam mentais ou afetivas. É com a Bíblia que confrontamos o saber humano, as filosofias, a ciência, as religiões e as nossas próprias vidas, aceitando, de bom grado, tudo o que com as Escrituras se harmonize, e firmemente rejeitando tudo o que da Bíblia discorde. E se a Bíblia é a Palavra de Deus, e disto sabemos, então se com a Bíblia concordamos, concordamos com Deus, pois Deus é o Autor da Bíblia.

Os artigos publicados neste website são fruto de anos de estudos, de pesquisas e, acima de tudo, de comunhão com Deus. Seu objetivo é o de orientar, cooperar, ajudar e apoiar, e tudo sob a precisa e magnífica perspectiva bíblica. Observar a existência sob a perspectiva bíblica é como ver tudo o que existe com os olhos de Deus.

As pessoas que têm contribuído com este ministério são diversas, e da maioria delas os leitores pouco terão notícia, pois cooperam na obra de Deus não para serem vistas e elogiadas, mas o fazem por amor a Cristo, esperando dele receber a prometida recompensa, a qual nos será dada no dia da ressurreição.

Há em nossa equipe homens e mulheres, eruditos e sábios, e há também os simples e pouco letrados, sendo também sábios, sendo que é especialmente a estes que expressamos os nossos maiores agradecimentos. Nossa equipe é composta por doutores e por analfabetos, por jovens e por velhos, por brancos e negros, por gordos e magros, por pobres e ricos, por brasileiros e por estrangeiros, e o que verdadeiramente importa: por homens e mulheres que, de coração sincero, servem a Deus na pessoa do Filho, cujo nome é Jesus. Este website é, portanto, um ministério (do grego = diakonia = serviço). E neste serviço a Deus, de modo nenhum buscamos louvores da parte de homens, e nem tampouco buscamos agradar a seres humanos. Nossos corações engrandecem apenas e tão somente ao Senhor Jesus Cristo, o único que é verdadeiramente digno de receber toda a honra, glória e poder. Entendemos e cremos ser sábia a posição de João Batista ao afirmar:

“É necessário que ele cresça e que eu diminua.” João 3:30

Não há colaboração financeira para este ministério, e melhor que assim seja, pois Deus é quem tem suprido de abundantes sementes as nossas sementeiras, a fim de que possamos ser achados como mordomos fiéis na Casa de Deus, a qual é a Igreja. E se alguma riqueza possuímos, a riqueza que possuímos é o conhecimento de Deus. E pelo conhecimento de Deus somos movidos pelo seu amor que ele nos concede por intermédio do Filho, o Senhor Jesus. Desta forma atestamos que o objetivo deste trabalho é o de edificar, gratuitamente, pois nos interessam os objetivos de Cristo, e os objetivos do Senhor Jesus visam o bem da alma, quer seja da minha, quer seja da nossa, quer seja da sua alma. Está escrito:

“Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido.” Lucas 19:10

Finalizando, que você possa aceitar e receber a verdade em seu coração, pois este tem sido o rumo deste nosso serviço a Deus, a saber, a proclamação da verdade e o combate à mentira. O mundo está sujeito à mentira, mas os filhos de Deus estão sujeitos à verdade. O pai da mentira é o diabo, e a verdade é Cristo.

“Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.” João 14:6

Novamente, seja bem-vindo!


 

Ministério Missionário Cristão

Christian Missionary Ministry

Home