O que sucede aos Animais após a Morte?

Os Animais irão para o Céu?

 

Este artigo é em resposta a um e-mail, o qual transcrevemos abaixo:

"Primeiramente agradecendo pelo seu site, site esse que me fez começar a enxergar todas as coisas da vida de um modo completamente diferente do que pensava antes, me abriu os olhos de uma maneira que só mesmo quem vivencia consegue explicar. Segunda coisa: muito difícil encontrar uma pessoa com inteligência assim como você e que escreve impecavelmente, não avacalhando a gramática como vemos em tantos sites sobre diversos assuntos. Sem sombra de dúvida, seu trabalho não teve início por acaso, Nosso Senhor que te abriu as portas e te pôs nesse caminho, acredito eu que para que possa abrir os olhos de muitas pessoas sem rumo por aí. Bom, vamos a minha pergunta, talves um pouco sem nexo, mas que realmente tenho muito interesse em saber.
Os nossos coleguinhas, nossos bichos de estimação, que será que acontece com eles depois que morrem? Nós temos espírito, lógico, mas e eles? Não são nossos bichinhos também uma vida?
Tenho muitos bichos e amo a todos eles como se fossem meus filhos na realidade, o coração deles é limpo e não tem a maldade do coração de muitos homens, por isso meu amor tão grande e minha pergunta, onde estão os que já se foram e para onde será que irão os bebês que ainda estão vivos comigo? É uma preocupação meio até que alheia em meio a tantas coisas que desejamos saber, mas prá mim é de muita importância.
Obrigada pelo site, obrigada por vc existir, obrigada por ter através dele me acordado para tantas verdades."

Marcia - 15/07/2008
 

Saudações em Cristo!

Agradecemos seus gentis comentários.

De fato, o trabalho deste ministério não teve nada de acaso. A idéia inicial era a de fazer do INTELLECTUS um site sobre variedades culturais. Todavia, a chama viva que há em meu espírito me inspirou, e inspira, a falar sobre as grandezas de Deus. Este é um dos frutos do batismo com o Espírito Santo, como está escrito:

“Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;” 1 Pedro 2:9

Que grande honra e que grande privilégio é este o de servir a Cristo! 

Importante, todavia, nesta delicada questão, é também atentarmos de todo o nosso coração para as palavras do Mestre:

“Respondeu João: O homem não pode receber coisa alguma se do céu não lhe for dada.” João 3:27 

Foram palavras ditas por João Batista, inspiradas pelo Espírito de Deus.

Graças rendo ao Senhor Jesus pela sua muita misericórdia para conosco, tendo eu particularmente tido o cuidado de não me esquecer de quem sou, ou seja, de um simples alguém sobre quem opera a graça de Deus por meio de Cristo. Não sou eu mesmo um exemplo já perfeito a ser seguido ou imitado, jamais possuí tal prepotência, pois que eu mesmo sumo e desapareço diante do exemplo eterno e perfeito que é o Senhor Jesus Cristo, ele sim, deve ser seguido e imitado por todos quantos busquem amar e agradar a Deus.

“Então, disse Jesus a seus discípulos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-me.” Mateus 16:24 

Sobre suas indagações

Sua questão é universal e histórica, pois não há uma simples exposição que lhe possa ser feita a respeito do que sucede aos animais que morrem. Todavia, há muito o que podemos considerar e meditar a este respeito, tendo como fundamento de sabedoria e de conhecimento as Escrituras de Deus, a Bíblia. Embora possamos afirmar com plena certeza que haverá animais no céu, pois o Senhor Jesus Cristo retornará montado em um cavalo.

“Vi o céu aberto, e eis um cavalo branco. O seu cavaleiro se chama Fiel e Verdadeiro e julga e peleja com justiça. Os seus olhos são chama de fogo; na sua cabeça, há muitos diademas; tem um nome escrito que ninguém conhece, senão ele mesmo. Está vestido com um manto tinto de sangue, e o seu nome se chama o Verbo de Deus; e seguiam-no os exércitos que há no céu, montando cavalos brancos, com vestiduras de linho finíssimo, branco e puro. Sai da sua boca uma espada afiada, para com ela ferir as nações; e ele mesmo as regerá com cetro de ferro e, pessoalmente, pisa o lagar do vinho do furor da ira do Deus Todo-Poderoso. Tem no seu manto e na sua coxa um nome inscrito: REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES.” Apocalipse 19:11-16

A questão é se os animais que convivem conosco hoje, isto é, se estes mesmos animais estarão conosco na glória de Deus. Igualmente importante é discorrermos sobre este assunto tendo em conta tanta crueldade que sofrem tantos animais por parte de homens perversos e sanguinários, bestas humanas, sádicos cruéis e implacáveis, mercenários a serviço da maldade, os quais, inevitavelmente, prestarão contas Àquele que tem nas mãos as chaves da morte e do inferno.

“Achei-me em espírito, no dia do Senhor, e ouvi, por detrás de mim, grande voz, como de trombeta, dizendo: O que vês escreve em livro e manda às sete igrejas: Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodicéia. Voltei-me para ver quem falava comigo e, voltado, vi sete candeeiros de ouro e, no meio dos candeeiros, um semelhante a filho de homem, com vestes talares e cingido, à altura do peito, com uma cinta de ouro. A sua cabeça e cabelos eram brancos como alva lã, como neve; os olhos, como chama de fogo; os pés, semelhantes ao bronze polido, como que refinado numa fornalha; a voz, como voz de muitas águas. Tinha na mão direita sete estrelas, e da boca saía-lhe uma afiada espada de dois gumes. O seu rosto brilhava como o sol na sua força. Quando o vi, caí a seus pés como morto. Porém ele pôs sobre mim a mão direita, dizendo: Não temas; eu sou o primeiro e o último e aquele que vive; estive morto, mas eis que estou vivo pelos séculos dos séculos e tenho as chaves da morte e do inferno. Escreve, pois, as coisas que viste, e as que são, e as que hão de acontecer depois destas.” Apocalipse 1:10-19

Este a quem João viu é o Senhor Jesus Cristo já glorificado após a sua ressurreição.

Citaremos alguns trechos bíblicos a fim de que possamos ver como Deus tem cuidado com os animais:

“A tua benignidade, SENHOR, chega até aos céus, até às nuvens, a tua fidelidade. A tua justiça é como as montanhas de Deus; os teus juízos, como um abismo profundo. Tu, SENHOR, preservas os homens e os animais.” Salmos 36:5-6

“Tornou o SENHOR: Tens compaixão da planta que te não custou trabalho, a qual não fizeste crescer, que numa noite nasceu e numa noite pereceu; e não hei de eu ter compaixão da grande cidade de Nínive, em que há mais de cento e vinte mil pessoas, que não sabem discernir entre a mão direita e a mão esquerda, e também muitos animais?” Jonas 4:10-11

“Observai as aves do céu: não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai celeste as sustenta. Porventura, não valeis vós muito mais do que as aves?” Mateus 6:26 

“O justo atenta para a vida dos seus animais, mas o coração dos perversos é cruel.” Provérbios 12:10

Os homens e os animais

No que tange à nossa forma física atual, somo estruturalmente como os animais, feitos de material orgânico o qual se decomporá, retornando ao pó, sucedendo o mesmo com os animais.

“Porque o que sucede aos filhos dos homens sucede aos animais; o mesmo lhes sucede: como morre um, assim morre o outro, todos têm o mesmo fôlego de vida, e nenhuma vantagem tem o homem sobre os animais; porque tudo é vaidade.” Eclesiastes 3:19 

Aqui algo ainda mais interessante, pois a Bíblia diz que tanto nós como os animais possuímos “o mesmo fôlego de vida”. A palavra hebraica do original da Bíblia é ruwach, e significa: “fôlego de vida; espírito”.

Vemos até aqui que tanto nós como os animais possuímos carne (a qual se decomporá) e fôlego de vida.

“Fôlego de vida” se refere ao espírito que Deus dá tanto aos homens como aos animais. Um cadáver, seja ele de homem ou de animal, já não mais possui o fôlego de vida, por isso está morto. E em Eclesiates, Salomão faz uma interessante indagação:

“Quem sabe se o fôlego de vida dos filhos dos homens se dirige para cima e o dos animais para baixo, para a terra?” Eclesiastes 3:21 

Salomão, homem que recebeu enorme e tremenda sabedoria de Deus, está indagando, desejando saber, e esta não é uma afirmação, se você observar bem o versículo bíblico citado. Salomão está meditando e inquirindo sobre os mistérios de Deus, e isto está escrito por nossa causa, a fim de que nós também busquemos conhecer as coisas de Deus, seus mistérios e suas maravilhas reveladas aos filhos dos homens.

Todos os que nasceram na atual dispensação da graça de Deus têm acesso a sabedoria superior a que tinha Salomão, e isto por causa de Cristo.

“Em verdade vos digo: entre os nascidos de mulher, ninguém apareceu maior do que João Batista; mas o menor no reino dos céus é maior do que ele.” Mateus 11:11 

Vivemos hoje sob a Nova Aliança, superior a todas as alianças que Deus anteriormente havia estabelecido com os filhos dos homens.

“E é por intermédio de Cristo que temos tal confiança em Deus; não que, por nós mesmos, sejamos capazes de pensar alguma coisa, como se partisse de nós; pelo contrário, a nossa suficiência vem de Deus, o qual nos habilitou para sermos ministros de uma nova aliança, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata, mas o espírito vivifica. E, se o ministério da morte, gravado com letras em pedras, se revestiu de glória, a ponto de os filhos de Israel não poderem fitar a face de Moisés, por causa da glória do seu rosto, ainda que desvanecente, como não será de maior glória o ministério do Espírito!” 2 Coríntios 3:4-8

Esta criação é sombra da criação lá de cima

“Ora, o essencial das coisas que temos dito é que possuímos tal sumo sacerdote, que se assentou à destra do trono da Majestade nos céus, como ministro do santuário e do verdadeiro tabernáculo que o Senhor erigiu, não o homem. Pois todo sumo sacerdote é constituído para oferecer tanto dons como sacrifícios; por isso, era necessário que também esse sumo sacerdote tivesse o que oferecer. Ora, se ele estivesse na terra, nem mesmo sacerdote seria, visto existirem aqueles que oferecem os dons segundo a lei, os quais ministram em figura e sombra das coisas celestes, assim como foi Moisés divinamente instruído, quando estava para construir o tabernáculo; pois diz ele: Vê que faças todas as coisas de acordo com o modelo que te foi mostrado no monte.” Hebreus 8:1-5

Esta criação é sombra da criação celestial, ou seja, se aqui temos plantas e flores e jardins, isto é porque lá no alto estas coisas já existiam antes das daqui. Observemos que o Senhor Deus plantou, ele próprio, um jardim no Éden:

“E plantou o SENHOR Deus um jardim no Éden, na direção do Oriente, e pôs nele o homem que havia formado.” Gênesis 2:8 

Aqui temos plantas, flores e cavalos, e as Escrituras afirmam, como já citado, que o Senhor Jesus Cristo retornará montado em um cavalo e que há no céu plantas e jardins.

“Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao vencedor, dar-lhe-ei que se alimente da árvore da vida que se encontra no paraíso de Deus.” Apocalipse 2:7

A Ressurreição

“Mas alguém dirá: Como ressuscitam os mortos? E em que corpo vêm? Insensato! O que semeias não nasce, se primeiro não morrer; e, quando semeias, não semeias o corpo que há de ser, mas o simples grão, como de trigo ou de qualquer outra semente. Mas Deus lhe dá corpo como lhe aprouve dar e a cada uma das sementes, o seu corpo apropriado. Nem toda carne é a mesma; porém uma é a carne dos homens, outra, a dos animais, outra, a das aves, e outra, a dos peixes. Também há corpos celestiais e corpos terrestres; e, sem dúvida, uma é a glória dos celestiais, e outra, a dos terrestres. Uma é a glória do sol, outra, a glória da lua, e outra, a das estrelas; porque até entre estrela e estrela há diferenças de esplendor. Pois assim também é a ressurreição dos mortos. Semeia-se o corpo na corrupção, ressuscita na incorrupção. Semeia-se em desonra, ressuscita em glória. Semeia-se em fraqueza, ressuscita em poder. Semeia-se corpo natural, ressuscita corpo espiritual. Se há corpo natural, há também corpo espiritual. Pois assim está escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito alma vivente. O último Adão, porém, é espírito vivificante. Mas não é primeiro o espiritual, e sim o natural; depois, o espiritual. O primeiro homem, formado da terra, é terreno; o segundo homem é do céu. Como foi o primeiro homem, o terreno, tais são também os demais homens terrenos; e, como é o homem celestial, tais também os celestiais. E, assim como trouxemos a imagem do que é terreno, devemos trazer também a imagem do celestial. Isto afirmo, irmãos, que a carne e o sangue não podem herdar o reino de Deus, nem a corrupção herdar a incorrupção.” 1 Coríntios 15:35-50

O que a Bíblia nos está ensinando neste magnífico trecho das Escrituras é que no céu criatura alguma terá corpo de carne, ou seja, material, constituído de moléculas físicas, mas todos os corpos celestiais serão espirituais e eternos, não feitos de matéria orgânica, pois o que é espiritual é superior ao que é terreno.

“Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade.” João 4:24 

Após a morte física, nossos corpos entram em decomposição e retornam ao pó. Na ressurreição, estes mesmos corpos serão transformados em corpos celestiais e eternos, irreconhecíveis em sua nova forma. Assim, tanto os corpos dos homens como os corpos dos animais terão de retornar ao pó. Quanto aos nossos corpos, sabemos que serão ressuscitados, porém a Bíblia não menciona a ressurreição dos corpos dos animais. Porém, se há neles fôlego de vida, isto é, espírito, o que sucede aos espíritos que Deus deu aos animais?

Certamente que o fôlego de vida dado por Deus não fica a vagar sem rumo, como se isto fosse algo de pouca importância. Não! O fôlego de vida não se dissipa como se fosse uma bolha de sabão. Está escrito que o fôlego de vida volta a Deus.

“e o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu.” Eclesiastes 12:7

Embora os animais sejam inocentes, não possuam maldade alguma, também eles foram sujeitos à corrupção por causa de Adão, o qual introduziu o pecado no mundo. Por isso está escrito:

“Pois a criação está sujeita à vaidade, não voluntariamente, mas por causa daquele que a sujeitou, na esperança de que a própria criação será redimida do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação, a um só tempo, geme e suporta angústias até agora. E não somente ela, mas também nós, que temos as primícias do Espírito, igualmente gememos em nosso íntimo, aguardando a adoção de filhos, a redenção do nosso corpo.” Romanos 8:20-23

“A tua justiça é como as montanhas de Deus; os teus juízos, como um abismo profundo. Tu, SENHOR, preservas os homens e os animais.” Salmos 36:6

Aqui é importante notar que a palavra bíblica utilizada no original em hebraico do Antigo Testamento para “preservar” é yasha, e significa “salvar, ser salvo, ser libertado”.

Quando Deus determinou que o dilúvio haveria de destruir um mundo corrompido e mau, o Senhor fez com que os animais também entrassem na arca, a qual prefigurava a salvação trazida pelo Senhor Jesus Cristo.

Outra importante indicação bíblica é o fato de Deus ter ordenado que no sábado descansassem não somente os homens, mas também os animais. Ora, se o sábado prefigurava o descanso eterno que haverão de alcançar os que se submeterem a Cristo, assim como no dilúvio, Deus não excluiu os animais destas importantes e totalmente reais alegorias sobre a salvação e sobre o mundo por vir.

“Guarda o dia de sábado, para o santificar, como te ordenou o SENHOR, teu Deus. Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR, teu Deus; não farás nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu boi, nem o teu jumento, nem animal algum teu, nem o estrangeiro das tuas portas para dentro, para que o teu servo e a tua serva descansem como tu; porque te lembrarás que foste servo na terra do Egito e que o SENHOR, teu Deus, te tirou dali com mão poderosa e braço estendido; pelo que o SENHOR, teu Deus, te ordenou que guardasses o dia de sábado.” Deuteronômio 5:12-15

Importante e oportuno aqui ressaltar que a guarda do sábado não é mais necessária nesta presente dispensação, pois que a guarda do sábado era um preceito da Antiga Aliança, a qual já não mais vigora, estando nós hoje sob a Nova Aliança.

“Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um; e, tendo derribado a parede da separação que estava no meio, a inimizade, aboliu, na sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, para que dos dois criasse, em si mesmo, um novo homem, fazendo a paz, e reconciliasse ambos em um só corpo com Deus, por intermédio da cruz, destruindo por ela a inimizade.” Efésios 2:14-16

“Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados, porque tudo isso tem sido sombra das coisas que haviam de vir; porém o corpo é de Cristo.” Colosssenses 2:16,17

Sendo assim, de uma coisa podemos estar certos, Deus ama os animais e os animais pertencem a ele.

“Conheço todas as aves dos montes, e são meus todos os animais que pululam no campo.”Salmos 50:11 

O hipopótamo é chamado por Deus de uma obra prima:

“Contempla agora o hipopótamo, que eu criei contigo, que come a erva como o boi. Sua força está nos seus lombos, e o seu poder, nos músculos do seu ventre. Endurece a sua cauda como cedro; os tendões das suas coxas estão entretecidos. Os seus ossos são como tubos de bronze, o seu arcabouço, como barras de ferro. Ele é obra-prima dos feitos de Deus; quem o fez o proveu de espada. Em verdade, os montes lhe produzem pasto, onde todos os animais do campo folgam. Deita-se debaixo dos lotos, no esconderijo dos canaviais e da lama. Os lotos o cobrem com sua sombra; os salgueiros do ribeiro o cercam. Se um rio transborda, ele não se apressa; fica tranqüilo ainda que o Jordão se levante até à sua boca. Acaso, pode alguém apanhá-lo quando ele está olhando? Ou lhe meter um laço pelo nariz?” Jó 40:15-24

Deus alimenta os animais e lhes ouve os clamores:

“Quem prepara aos corvos o seu alimento, quando os seus pintainhos gritam a Deus e andam vagueando, por não terem que comer?” Jó 38:41

O próprio Deus cuida dos animais quando lhes chega a hora do parto:

“Sabes tu o tempo em que as cabras monteses têm os filhos ou cuidaste das corças quando dão suas crias? Podes contar os meses que cumprem? Ou sabes o tempo do seu parto? Elas encurvam-se, para terem seus filhos, e lançam de si as suas dores. Seus filhos se tornam robustos, crescem no campo aberto, saem e nunca mais tornam para elas.” Jó 39:1-4

Deus usa animais para dar exemplos aos homens:

Vai ter com a formiga, ó preguiçoso, considera os seus caminhos e sê sábio. Não tendo ela chefe, nem oficial, nem comandante, no estio, prepara o seu pão, na sega, ajunta o seu mantimento. Ó preguiçoso, até quando ficarás deitado? Quando te levantarás do teu sono? Um pouco para dormir, um pouco para tosquenejar, um pouco para encruzar os braços em repouso, assim sobrevirá a tua pobreza como um ladrão, e a tua necessidade, como um homem armado.” Provérbios 6:6-11

Eis que eu vos envio como ovelhas para o meio de lobos; sede, portanto, prudentes como as serpentes e símplices como as pombas. Mateus 10:16

Conclusões a que podemos chegar:

- Haverá animais no céu, assim como plantas e jardins.

- Os animais possuem fôlego de vida dado por Deus, assim como nós.

- Se a natureza prefigura uma realidade vindoura superior e muito mais bela nos céus, e se os animais são criaturas tão amadas por Deus a ponto de serem mencionadas tantas e tantas vezes nas Escrituras, é ponto definitivo que os animais fazem parte do plano de Deus para a sua criação, tanto para esta atual, como para os novos céus e a nova terra.

- Haverá homens que perecerão e serão condenados ao inferno, porém tal condenação não se aplica aos animais, os quais não possuem juízo crítico e nem malícia alguma.

- O fôlego de vida que Deus deu aos animais volta para ele.

- Os corpos dos animais retornam ao pó.

- Não há referência bíblica explícita à ressurreição dos animais, embora isto não signifique obrigatoriamente que os animais que hoje conhecemos não estarão no céu em corpos espirituais, haja vista que não haverá nada material nos céus. Também não há afirmação bíblica de que os animais não ressuscitarão ou de que seus espíritos não estarão no céu.

A súmula disto é que devemos amar os animais e tratá-los com cuidado e respeito, pois são propriedade de Deus. E Deus ama os animais, trata deles e tem ininterrupta atenção sobre eles. Sendo assim, podemos consolar os nossos corações quanto aos animais que amamos, pois sabemos que estão nas mãos de um Deus bondoso, amoroso, carinhoso e justo.

E mais importante ainda, é que caso os mesmos animais que hoje conhecemos um dia estejam eles mesmos nos céus, é importante que seus donos cuidem bem de suas próprias almas, rendendo-se a Cristo, pois os animais não estão sujeitos à condenação eterna, porém seus donos sim. Caso não se convertam a Cristo, pois sem Cristo ninguém será salvo.

“Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam. Mas Deus no-lo revelou pelo Espírito; porque o Espírito a todas as coisas perscruta, até mesmo as profundezas de Deus.” 1 Coríntios 2:9,10

Dedico este artigo à memória dos cãezinhos que muito me alegraram a vida. E agradeço a Deus pela vida de cada um deles. Já se foram, mas tenho plena certeza de que Deus cumpriu neles o seu plano. Bom, justo e sábio é o Senhor. Aleluia!

INTELLECTUS

Home