A Crise Econômica e Política no Brasil, Suas Verdadeiras Causas. 

A Maçonaria, o Espiritismo, o Satanismo e a Apóstata de Roma na História do Brasil

"Porque a palavra do Senhor é reta; e todas as suas obras são feitas com fidelidade. Ele ama a retidão e a justiça; a terra está cheia da benignidade do Senhor. Pela palavra do Senhor foram feitos os céus, e todo o exército deles pelo sopro da sua boca. Ele ajunta as águas do mar como num montão; põe em tesouros os abismos. Tema ao Senhor a terra toda; temam-no todos os moradores do mundo. Pois ele falou, e tudo se fez; ele mandou, e logo tudo apareceu. O Senhor desfaz o conselho das nações, anula os intentos dos povos. O conselho do Senhor permanece para sempre, e os intentos do seu coração por todas as gerações. Bem-aventurada é a nação cujo Deus é o Senhor, o povo que ele escolheu para sua herança."

Salmos 33:4-12


Este artigo está sendo escrito no final do primeiro semestre de 2005 (atualizado em 08/2009) , quando uma onda negra de corrupção política e ainda outra onda, a da dissimulação deliberada, como gafanhotos devoradores, assolam o Brasil. Se o nosso posicionamento diante destes fatos for idêntico ao posicionamento do mundo diante de crises, então este site não merece, sequer, estar online. Mas não é assim. Neste artigo veremos as reais causas da crise brasileira, quando ela começou e porque se perpetua, como se não houvesse orações a Deus por esta nação. E isto só poderá ser feito se recorrermos às Escrituras e à História a fim de que possamos nos situar no tempo e no espaço.

A Igreja Católica Romana e a Maçonaria, presentes em solo brasileiro desde o início da Colonização

Pode-se afirmar que a colonização brasileira começou muito mal sob todos os aspectos, sob o ponto de vista político, econômico, social e, sobretudo, espiritual. Até o século XIX nada foi feito a fim de que o Brasil fosse uma nação saudável. Era tido e tratado como uma mera colônia fonte de renda para os europeus (principalmente os portugueses) os quais dilapidaram e dilaceraram as nossas terras por causa do ouro de Minas Gerais e da renda oriunda das plantações de açúcar. Lembrando que essa economia era mantida a preço de muito sangue derramado dos corpos dos escravos negros e dos índios. E todas essas coisas aconteciam com o beneplácito explícito da Igreja Católica Apóstata Romana, com todo o seu penduricalho idólatra e apóstata que ela trouxe para estas terras, como as famosas indulgências, seus muitos amuletos, suas missas pelos falecidos, as preces pelos mortos, a veneração e adoração de imagens, a invocação de mortos (preces a padres, freis e papas falecidos), a supremacia papal e todo o resto do assombroso conjunto de heresias da Traidora de Cristo. Completamente separada de Cristo, não é de se admirar que consentisse, e que se beneficiasse financeiramente, com todas as barbaridades que foram feitas no Brasil desde o século XVI.
Já no final do século XVIII, a quantidade de ouro extraída das regiões de Minas Gerais já era tão grande (estimada em quase dez toneladas) que despertou o interesse de muita gente, incluindo abutres e parasitas, que já desejava transformar a colônia portuguesa em uma nação "independente" (e a História é testemunha de que os abutres do período pós-Brasil-colônia também não desejavam desenvolver nada, mas tão somente explorar, dilapidar, extrair, sugar e se aproveitar de nossas riquezas, fosse a que preço fosse). E onde há riquezas, seja de que origem for, lá está ela, a Maçonaria, tão reptiliana como seu pai, Satanás. 
Bem antes da Proclamação da Independência do Brasil, em 1822, já ela estava bem organizada em solo brasileiro, sendo a própria uma das articuladoras do que até hoje é conhecido como a "Independência" do Brasil (na verdade o controle do Brasil apenas passou de mãos). Desde essa época já estava formada a loja maçônica Grande Oriente do Brasil, uma autêntica representante de Lúcifer nas terras tupiniquins. Não por coincidência, o próprio Dom Pedro I era membro dessa loja maçônica. E, igualmente, sem ter nada a ver com coincidências, nesse meio circulava o padre maçom Diogo Antônio Feijó (1784-1843) umas das figuras-chave que evidenciam a estreitíssima relação da Maçonaria de Lúcifer com a Igreja Católica Apóstata de Roma. A casa de um era a casa do outro, ou seja, o serpentário que abrigava Dom Pedro I era o mesmo que aquecia o padre Feijó.
O movimento conhecido como Proclamação da Independência não passou de um movimento maçom de dominação do Brasil, dizer que esta nação passou à independência após 1822 é não somente ingenuidade, mas é desconhecimento da História e da verdade. A pequena lista a seguir, com nomes de maçons conhecidos, é mais do que suficiente a fim de demonstrar quão dominado por essa organização luciferiana se encontrava, e ainda se encontra, o Brasil:

Maçons Conhecidos na História do Brasil

Ademar de Barros (Governador de Estado)
Afonso Celso (Visconde de Ouro Preto)
Américo Brazílio de Campos (fundador do jornal "O Correio Popular")
Azeredo Coutinho (bispo católico e precursor da Independência)
Benjamin Constant (o "pai da República"; atrubui-se a ele a adoção da divisa da bandeira brasileira "Ordem e Progresso")
Campos Sales (Presidente da República*)
Delfim Moreira (Presidente da República*)
Deodoro da Fonseca (Presidente do República*)
Divaldo Suruagy (Governador de Estado)
D.Pedro I (Imperador do Brasil*)
Duque de Caxias (militar, Patrono do Exército Brasileiro)
Espiridião Amim (Governador de Estado)
Floriano Peixoto (Presidente da República*)
Frei Caneca
General Osório (militar)
Golbery do Couto e Silva (militar e Ministro de Estado)
Gonçalves Ledo
Hermes da Fonseca (Presidente da República*)
Jânio Quadros (Presidente da República*)
Joaquim Marcelino de Brito (Governador de Sergipe e Pernambuco, Ministro do Supremo Tribunal de Justiça e Grão Mestre da loja maçônica o Grande Oriente do Brasil)
José Bonifácio de Andrada e Silva (o Patriarca da Independência)
José Maria Lisboa (fundador do jornal "Diário Popular")
Júlio Prestes (Presidente da República*)
Luís Alves de Lima e Silva (Duque de Caxias)
Manoel de Nóbrega (produtor de televisão)
Mário Covas (Governador de Estado)
Nelson Carneiro (o Senador da Lei do Divórcio)
Nereu Ramos (Presidente da República*)
Newton Cardoso (Governador de Estado)
Nilo Peçanha (Presidente da República*)
Orestes Quércia (Governador de Estado)
Prudente de Morais (Presidente da República*)
Rodrigues Alves
Rui Barbosa (jurista e político)
Saldanha Marinho (líder republicano)
Senador Vergueiro (político)
Silva Coutinho (político e bispo católico do Rio de Janeiro)
Visconde do Rio Branco (estadista e Grão Mestre da loja maçônica O Grande Oriente do Brasil))
Wenceslau Braz (Presidente da República*)
Washington Luiz (Presidente da República*)

É fato que muitos maçons não conhecem o que se encontra por trás dessa organização transvestida de filantrópica, porém não parece ter sido o caso de nenhum dos citados acima.
A própria bandeira brasileira foi confeccionada nos moldes maçons, como podemos ver nesta declaração copiada de um site da Maçonaria:

"...A concepção da bandeira deve-se a Teixeira Mendes que a justificou no Diário Oficial do dia 24 de Novembro. O dístico "ORDEM E PROGRESSO' foi tido na época como influência do positivismo e durante algum tempo, julgou-se que o positivismo estivesse ligado à influência da Proclamação da República. Hoje nós sabemos que o mote em questão é assunto maçônico relativo a grau elevadíssimo e que o primeiro ministério formado era, quase em sua totalidade, constituído de Maçons." (Benoit Brito Mendes, mestre maçom)


O que há em comum na Maçonaria e na Igreja Católica Romana? Resposta: A rejeição a Cristo.


Em nosso site há diversos artigos sobre o lado negro da Igreja Católica Apóstata Romana, como por exemplo: Catolicismo Romano; A Inquisição; Era Madre Teresa de Calcutá uma Cristã Verdadeira?; O Embuste de Fátima, dentre outros.

Falemos agora um pouco mais sobre a Maçonaria.


Para que você, já de início, tome conhecimento de que a Maçonaria é uma organização satânica, veja estas horrendas e blasfemas palavras ditas por aquele que era considerado o Soberano Pontífice da Maçonaria Universal, o general Albert Pike (1809-1892):

"Para vocês, Soberanos Grandes Inspetores Gerais, nós dizemos isto, que vocês podem repetir para os irmãos dos graus 32, 31 e 30: A Religião Maçônica deve ser, por todos nós iniciados dos altos níveis, mantida na pureza da Doutrina Luciferiana"; "Sim, Lúcifer é Deus..."; "E a verdadeira e pura religião filosófica é a crença em Lúcifer, o igual de Adonai; Mas Lúcifer, Deus da luz e Deus do bem, está lutando pela humanidade contra Adonai, o Deus da escuridão e do mal." (Instructions to the 23 Supreme Councils of the World, Albert Pike, Grand Commander, Sovereign Pontiff of Universal Freemasonry, July 14, 1889)

Esta espantosa declaração, mais do que embaraçosa e comprometedora para a Maçonaria, caiu nas mãos do público por acidente. As palavras que você leu acima são de um documento escrito pelo General Albert Pike (foto acima à esquerda) a um grupo de maçons das mais elevadas hierarquias desta organização secreta, grupo esse que se reuniu em Paris em julho de 1889, e para quem Albert Pike desejava apresentar, pessoalmente, a sua introdução à Doutrina Luciferiana. Como estava doente, Pike ficou impossibilitado de viajar, e então escreveu uma carta para ser lida na Convenção do Supremo Concílio Mundial dos Maçons. E esta carta terminou por vir a público revelando-nos o caráter satânico do cerne da Maçonaria.

Este homem, o Coronel Albert Pike foi o mais poderoso maçom de que se tem notícia. Ocupava, simultaneamente, as posições de Grande Mestre Maçom, Grande Comandante Maçom do Supremo Conselho e Soberano Pontífice da Maçonaria Universal. Chegou a receber 130 graus maçônicos. Era um satanista declarado, conhecido pelas orgias dionisíacas que promovia, e desfilava com um símbolo de Bafomet (diabo) em seu pescoço.

A Maçonaria está também intimamente relacionada com duas outras organizações ocultistas, a Sociedade Teosófica, fundada por Helena Petrovna Blavatsky, uma satanista declarada e os Rosacruzes. Prova disto é que há numerosos sites pela Internet afora, confeccionados por maçons, os quais indicam os sites de Teosofia da bruxa Blavatsky e os sites ocultistas dos Rosacruzes. Fica mais do que evidente que Satanás impera e domina em todas essas organizações iniciáticas: Maçonaria, Sociedade Teosófica e Sociedade Rosacruciana.

As Consequências para o Brasil

Imagine que você vai matricular seus filhos em uma escola. Duas são as opções que surgem. Na primeira delas, a diretora da escola lhe diz: "Nesta escola acreditamos em Deus e ensinamos nossos alunos a fazer o mesmo". Já na segunda escola, a outra diretora afirma: "Esta escola é dominada pelo Diabo, está cheia de demônios e aqui quem manda é Satanás". Diga-me, então, em qual das duas escolas você matricularia seus filhos? Na primeira, não é mesmo? E por que? Porque a Bíblia nos revela que Satanás é um ser abominável, inescrupuloso, perverso, imoral e cujos objetivos são o roubo e a destruição. E o que de bom poderíamos esperar de uma escola dominada pelo Diabo? Pois é este ser o pai e o senhor da Maçonaria, como facilmente podemos ver, não somente pelas palavras de Albert Pike, mas também por todos os símbolos ocultistas e satanistas utilizados nos rituais maçons e, principalmente, pelos frutos dessa organização luciferiana.

Se você retornar à lista de maçons que publiquei (colhida de publicações da própria Maçonaria), você verá que o Brasil tem sido controlado e dominado por essa organização das trevas desde os primeiros séculos após a sua descoberta. E o que vemos hoje à nossa volta? Uma nação empobrecida, humilhada, aviltada e atrasada, pois os interesses maçônicos sempre estão acima dos interesses nacionais. E quando falamos em interesses maçônicos, entendamos por isso o egoísmo, a ausência de misericórdia, a ambição, a injustiça e a maldade, pois uma enorme parte dos que ingressam na Maçonaria o fazem visando a ascensão social, o poder político, o dinheiro e a dominação. E a lista dos maçons acima demonstra que alguns deles obtiveram êxito em seus propósitos. Não nos esquecendo, ainda, que a Maçonaria é uma organização política-econômica e religiosa internacional. Os seus interesses primam por beneficiar a organização, em primeiro lugar.

Ainda que maçons gritem e esperneiem negando estas coisas, a realidade é que em todas as situações onde Lúcifer domina, ele sempre faz prevalecer a sua vontade, e os seus desígnios são todos maus.

"Vós sois do diabo, que é vosso pai, e quereis satisfazer-lhe os desejos. Ele foi homicida desde o princípio e jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira." 

João 8:44

O Espiritismo no Brasil

Devido às dificuldades enfrentadas pelos portugueses em conseguir mão de obra braçal para prosseguir com a abertura de vias de acesso pelas matas brasileiras, início de plantações e colheitas, edificações e assentamentos, carregar e descarregar navios e carroças, e diante da resistência dos índios em colaborar com tais atividades, as quais envolviam escravidão e maus tratos, eles foram buscar trabalhadores escravos no continente africano, sendo importante observar que houve muitos homens (eles mesmos negros e africanos) que entregaram seus patrícios africanos nas mãos dos portugueses devido ao suborno que recebiam.

Da mesma forma como os índios possuíam seus curandeiros e bruxos, também juntamente com os primeiros africanos que para aqui foram trazidos vieram curandeiros e bruxos africanos, conhecedores das práticas de invocação de espíritos da natureza, espíritos da selva e também fazendo-lhes pedidos e lhes dirigindo oferendas. E não demorou muito até que surgisse uma ampla e diversificada mescla entre as práticas de necromancia, mágica e incorporação de espíritos por ambos os grupos, índios e africanos: Canjerê, Catimbó, Umbanda, Macumba, Quimbanda, etc. Dentre essas mesclas, o Candomblé é o segmento do espiritismo africano que mais se manteve fiel aos seus chamados espíritos da natureza, os Orixás. Não bastasse esse espontâneo entrelaçamento entre o ocultismo indígena e o africano, a Igreja Católica Apóstata Romana foi a grande patrocinadora do sincretismo religioso brasileiro, o que nada mais era do que a oficialização da união em território brasileiro de todas as práticas antibíblicas que para aqui foram trazidas. Posteriormente outras variantes do Espiritismo também aqui aportaram, como o Kardecismo do maçom Allan Kardec. E nesse ambiente controlado e dominado por espíritos de demônios foi que caminharam e que se multiplicaram os habitantes desta nação.

Conclusão

Deus dotou o Brasil, ou a região geográfica onde ele se encontra, com riquezas impressionantes. São incontáveis fontes de águas, uma costa marítima imensa, uma flora e uma fauna robustas e fartas, madeiras, frutas de diversas espécies, terrenos férteis, ouro, pedras preciosas e muitos outros minerais no subsolo. Mas o Brasil tem dado as costas a Deus e se voltado para demônios. Não invocam a Deus e nem lhe honram o nome. Ao invés disso fazem oferendas a estátuas de gesso, carregam bonecos em procissão, sacrificam nos terreiros de Candomblé, consultam necromantes e astrólogos, invocam mortos, se entregam às orgias dos carnavais e depositam sua confiança em homens profanos membros de sociedades ocultistas (Maçonaria).

Para concluir este artigo, citaremos um trecho das Escrituras que muito bem se aplica ao Brasil:

"Os teus bens e os teus tesouros entregarei gratuitamente ao saque, por todos os teus pecados e em todos os teus territórios."

Jeremias 15:13

Leia também:

Brasil, Roubado pelo Diabo

O Rio de Janeiro Paga com Sangue e Lágrimas o Preço pelo Carnaval,  pela Prostituição e pela Homenagem ao Diabo

Porque o Espiritismo se Difundiu no Brasil

 

INTELLECTUS

Home