“Provar” a Existência de Deus? O Materialismo

Primeiramente, gostaríamos de dizer que não estamos escrevendo contra os ateus, pois sabemos quem os confunde e os cega.

“Mas, se o nosso evangelho ainda está encoberto, é para os que se perdem que está encoberto, nos quais o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus.” 2 Coríntios 4:3,4

“O deus deste século”, no Grego do Novo Testamento: to theos toutou aion, uma referência a Satanás (sâtân).

Estes a quem as Escrituras chamam de cegos são, também eles, alvo do amor e da misericórdia de Deus, o qual deseja que ninguém se perca. E essas teses e doutrinas anti-Deus, como o Materialismo e o Humanismo Secular, por exemplo, são invenções de demônios a fim de seduzir e enganar os homens, pois o desejo do diabo é a morte dos homens. Mas está escrito:

“Para isto se manifestou o Filho de Deus: para destruir as obras do diabo.” 1 João 3:8

“Eu vim como luz para o mundo, a fim de que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas.” Senhor Jesus Cristo. João 12:46

Os ateus adeptos do Materialismo reivindicam “provas científicas” para a existência de Deus. Trata-se, todavia, de um ardil, pois a argumentação do Materialismo não busca discutir, e muito menos aprender sobre Deus. Estão, na realidade, envolvidos em uma atmosfera tenebrosa e obstinada na tentativa de negar a existência de Deus, pois se recusam a se submeter a Ele. Falam sobre liberdade, estando eles próprios em amarga escravidão.

“Replicou-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: todo o que comete pecado é escravo do pecado.” João 8:34
 

Para o Materialismo, a única coisa que existe é a matéria. O Materialismo é, na realidade, uma crença que dispensa a necessidade de demonstração. Não segue o método científico e não possui caráter acadêmico, não podendo assim sequer ser considerado como uma disciplina das ciências. Na linguagem coloquial, Materialismo também significa o apego apaixonado pelos bens materiais (avareza) e pelos prazeres (luxúria, sensualidade).
Em suas limitadíssimas asseverações, os adeptos do Materialismo comumente se apresentam como “homens de ciência”, buscando confundir a outros como se o Materialismo fosse uma ciência, quando na realidade não passa de um conjunto de conjecturas íntimas e estritamente pessoais. Não somente as premissas do Materialismo não são ciência, bem como parcamente se enquadram na categoria de filosofia. Não há no Materialismo uma sincera inquirição, mas um mero e obstinado desejo de negação da Verdade de Deus. E o próprio Deus fala sobre eles.

“Pois o perverso se gloria da cobiça de sua alma, o avarento maldiz o SENHOR e blasfema contra ele. O perverso, na sua soberba, não investiga; que não há Deus são todas as suas cogitações.” Salmos 10:3,4

Além do que, as pretensões arrogantes do Materialismo se constituem em grande obstáculo ao conhecimento do Criador, pois o pensamento humano egocêntrico e egoísta se lhes torna em terrível empecilho ao conhecimento de Deus.

“Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos.” Romanos 1:22

Não há muito o que comentar a esse respeito, pois não há nada de novo e muito menos de original nas apenas reformuladas (neoformatadas) teses do velho Materialismo, todas elas filhas de um dos mais graves pecados no qual alguém pode persistir: a incredulidade.

Ludwig Feuerbach (1804-1872), Friedrich Engels (1820-1894) e Karl Marx (1818-1883) foram alguns dentre os que reformataram o já velho e enfadonho Materialismo grego, proposto, dentre outros, por Epicuro (341 a.C. - 270 a.C.), que entusiasmado com a teoria atômica de Demócrito (460 a.C.-370 a.C.), passou a asseverar que tudo o que existe é formado de átomos, ou seja: a única coisa que existe é a matéria. Os escritos materialistas de Feuerbach influenciaram profundamente a Sigmund Freud (1856-1939), o pai da Psicanálise (diferentemente do que muitos pensam, uma pseudociência ateísta que não é um ramo da Psicologia e que nada tem a ver com a Psiquiatria). Já Karl Marx, por sua vez, este também sob as influências do Materialismo, elaborou o Manifesto Comunista e O Capital, sua mais conhecida obra (outro embuste pseudocientífico a tudo o que se propõe). Karl Marx, o pai do Comunismo, dedicou sua vida a um propósito suicida, e que ele mesmo expressou nas seguintes palavras:

 

“Eu desejo me vingar contra Aquele que governa lá em cima.” (Karl Marx 1818-1883)


As desastrosas evidências das inumeráveis falhas de caráter e de moral dos homens, assim como as suas óbvias demonstrações de enormes limitações, se constituem em um grave depoimento contra a arrogante pretensão de buscar “provar a existência de Deus”, quando, na verdade, o que de Deus se pode conhecer já é revelado aos homens, cabendo, a cada um individualmente, buscá-lo e adorá-lo. Mas fazem o oposto: não somente não o buscam, não o respeitam, mas, como está escrito no Salmo 10, buscam meios e modos de asseverar que Deus não existe.

Mais do que realmente “tentar provar” qualquer coisa, o que o pensamento ateu solicitante de “provas científicas” para a existência de Deus deseja é permanecer em um perpétuo status de tentativa de negação da Verdade, se valendo assim de premissas de dúvidas deliberadamente lançadas e cultivadas. Tais homens têm demonstrado, na prática, desejar o mal e o pecado, não o conhecimento de Deus, pois está escrito para que todos os homens e mulheres saibam e entendam:

 

“Olhai para mim e sede salvos, vós, todos os limites da terra; porque eu sou Deus, e não há outro. Por mim mesmo tenho jurado; da minha boca saiu o que é justo, e a minha palavra não tornará atrás. Diante de mim se dobrará todo joelho, e jurará toda língua.” Isaías 45:22,23


“Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração.” Jeremias 29:13

Os versículos a seguir já são mais do que suficientes para lançar por terra essa pretensão ardilosa e arrogante dos que procuram, em vão, meios e modos a fim de tentar negar a Deus, resistindo assim aos mandamentos de submissão ao nosso Criador.

“A ira de Deus se revela do céu contra toda impiedade e perversão dos homens que detêm a verdade pela injustiça; porquanto o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes manifestou. Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis; porquanto, tendo conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças; antes, se tornaram nulos em seus próprios raciocínios, obscurecendo-se-lhes o coração insensato. Inculcando-se por sábios, tornaram-se loucos e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, bem como de aves, quadrúpedes e répteis. Por isso, Deus entregou tais homens à imundícia, pelas concupiscências de seu próprio coração, para desonrarem o seu corpo entre si; pois eles mudaram a verdade de Deus em mentira, adorando e servindo a criatura em lugar do Criador, o qual é bendito eternamente. Amém!” Romanos 1:18-25

O único remédio para a cegueira espiritual é a fé! Se não crerem no Evangelho de Cristo morrerão sem Deus. E isto é válido para qualquer um, seja ele ateu, religioso ou indiferente.

Por que, afinal, essa gente não crê em Deus?

É o próprio Deus quem responde:

“O julgamento é este: que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz; porque as suas obras eram más. Pois todo aquele que pratica o mal aborrece a luz e não se chega para a luz, a fim de não serem argüidas as suas obras. Quem pratica a verdade aproxima-se da luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque feitas em Deus.” João 3:19-21

 

Se você crê em Deus e se já se submeteu ao senhorio de Cristo, para a vida, agradeça muito a Deus por isso. Mas, se você não crê, assim mesmo ouça este convite:

 

“Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve.” Senhor Jesus Cristo. Mateus 11:28-30

 

 

INTELLECTUS

Home